Círculo maldito

Raciocinando sobre o filme "O Curioso Caso de  Benjamin Button" me puz a pensar: como seria bom se a inversão temporal, como a que o filme relata, acontecesse.  


A primeira coisa que me veio à mente foi que talvez nos livrássemos do "circulo maldito" no qual quase todos nós, humanos caimos logo após o nosso nascimento. Este círculo é o seguinte: 

Se você dividir a sua vida em 3 fases:- Infância/adolescência, meia idade/maturidade e idade final/velhice e analisá-las sob os três pontos de vista seguintes, "Disposição", "Tempo" e "Dinheiro" verá que, em cada fase sempre irá faltar pelos menos uma destas três coisas e, isto, poderá impedir que você tenha uma vida plena e satisfatória. Senão, vejamos. 

Primeira fase - Infãncia/adolescência

Nesta fase você tem uma disposição incrível para viver a vida porque tem saúde e todos os tecidos do seu corpo são novos e funcionam bem. Também tem tempo e idéias, boas ideias, para fazer muitas coisas que irão mudar o mundo porque não tem compromissos além do trivial impostos pelos pais. O que lhe falta nesta fase, no entanto, é dinheiro porque, mesmo que os seus pais tenham bastante dinheiro eles não liberam para você de acordo com as suas necessidades. Desta forma, por causa disto esta fase da vida não é lá essas coisas para você e para quase todos nós. Nesta fase muiitos não se conformam com o que lhes acontece e acabam fazendo um monte de merda sendo rebeldes sem causa e outras coisas mais. Alguns até, eventualmente, não conseguem passagem para a fase seguinte deste video-game que é a vida que, ao contrário do jogo, não permite recomeço,  Os cemitérios estão cheios de cadáveres de jóvens que foram assim. 

Segunda fase - Meia idade/maturidade

Se você for um dos sobreviventes da fase 1, nesta fase irá trabalhar e passará então a ter o seu próprio dinheiro já que terá renda. Daí você poderá pensar: "agora sim vou poder fazer as coisas que gosto, estou ganhando o suficiente para desenvover aquilo, aquilo outro, etc". Ledo engano meu amigo, porque você terá dinheiro já que trabalha e ganha,  terá disposição porque ainda é jovem e está "queimando óleo 30-40" mas, sinto muito desiludi-lo, agora você não terá tempo para fazer porra nenhuma a não ser tralbalhar, trabalhar e trabalhar. É frustrante e isto também leva muita gente a não sair desta fase. É a fase do stress, da depressão, da perda dos amores conquistados à duras penas, das neuras todas enfim, tão perigosa como a fase anterior e tão frustrante e infeliz quanto àquela.   

Terceira fase - Idade Final/Velhice

Se você trabalhou bem na fase anterior e criou uma carreira de sucesso ou pelo menos fez algo que lhe deu condições de ter uma vida digna ou talvez nem tanto (Brasil incluido com muitas dificuldades), pode pensar em se aposentar e fazer as coisas que não tinha feito nas fases anteriores porque, agora tem dinheiro  já que acumulou um pouco e, como está aposentado, não lhe faltará tempo. Outro engano. Saiba que você não poderá fazer a maioria das coisas que pensou nas fases anteriores porque você não terá mais disposição suficiente para isto, coisas da fase da infância  então, nem pensar. Consequentemente continuará frustrado. Nesta fase muitos se tornam pessoas amargas, encrenqueiras e que deixam a vida dos parentes um verdadeiro inferno. Outras são doentes face os excessos cometidos anteriormente e também dão trabalho enorme aos outros.  A maiora, eu diria, não é feliz e isto pode muito bem acontecer com você afinal você é humano, jovem ou nâo. 

Desta forma, caro amigo, eu não sei se você se identificou com a teoria do "circulo maldito" mas, de qualquer forma analise-o, tire as suas próprias conclusões e procure minorar os efeitos dele sobre a sua vida. 

Quando tomei contacto com esta teoria, a encarei como um aspecto filosófico da existência de todos nós aqui na terra de forma prágmática ou seja, nada posso fazer para mudar a teoria mas posso fazer muito para minorar os efeitos dela sobre mim. A minha vida melhorou e muito a partir do momento em que entendi que "tempo", "dinheiro" e "disposição" são apenas conceitos materiais e que têm muito mais coisas a serem consideradas nas nossas vidas as quais não sabemos quais são mas, que devemos descobri-las. 

Entre estas coisas cito a paz, o amor, a graça pelo jogo da vida, a bondade, a caridade e a confiança em Deus que não me mandaria para cá apenas para que eu sofresse, trabalhasse que nem um idiota na busca de resultados que nunca verei e para pagar impostos que sustentam uma porrada de desqualificados que estão no poder a quem eu próprio os dei, irônicamente. 

Enfim, a vida que me deram deve ter um propósito além disso que consigo ver. Se não tiver...há se não tiver...o que farei?  

2 Responses so far.

  1. seuluiz says:

    Excelente artigo, meu caro amigo. Ainda não me aposentei mas estou quase lá e estou me preparando para isto. Mas como você diz "Valeu a pena sim".
    Abraços

  2. EAD says:

    Que triste o filme, aí a gente vê que não adianta viver mais do que os outros.