Crime de primeiro mundo?


Vez por outra o Brasil aparece em manchetes por ter feito coisas que o primeiro mundo não aprova ou, quase sempre, abomina. Quando aqui acontecem coisas como tocar fogo num índio, matar um trombadinha na rua, alguma doença grassar numa favela, ocorrer queimadas de florestas, contrabandistas de animais serem presos, sem terra serem chacinados pela policia ou presos serem mortos o mundo todo cai de pau em cima da gente como se fôssemos animais ou pior, como se fôssemos gente de segunda classe.
Se fosse aqui no Brasil que ocorresse a mortandade de focas filhotes como ocorre no Canadá onde, covardemente, eles trucidam milhares de focas bebês indefesas na base de cacetadas iriámos parar na primeira paginas de todos os jornais do mundo e dedos nos seriam apontados como se bárbaros fôssemos todavia, como foram os canadenses de primeiro mundo que mataram as focas, tudo bem, deixa como está.
Se o indio brasileiro fosse tratado antes e agora como foram tratados os índios americanos antes e agora com certeza seríamos malhados no mundo todo mas, como como se trata dos americanos, nada se fala.
Anualmente uma cidade de Santa Catarina promove o que eles chamam de a "farra do boi" que consiste em soltar pela cidade um ou mais bois para que população "se divirta" judiando do animal até a morte. Esta prática, dada o seu alto grau de violencia, é coibida pela justiça brasileira mas corre o risco de não ser mais dependendo da atuação do Congresso na formulação do "estatuto do animal" que parece que não vai proteger animais considerados domésticos. Particularmente (Corre no país um abaixo assinado para pressionar o Congresso no sentido de fazer com que ele reveja a sua posição) acho que o Congresso não vai retirar os animais domésticos da proteção então a farra do boi não volta. O problema é que nunca se sabe o que sairá da cabeça dos Congressistas e sempre deles esperamos o pior e, não raras vezes, acertamos. Tudo bem, diriam os espanhois, daqui se pode esperar que coisas como a farra do boi ocorram já que somos o que somos mas, o que dizer então deles que são de um país onde, todos os domingos, em quase todas as cidades espanholas, existem as famosas touradas que são tão ou mais violentas e sanguinárias do que a "nossa" farra do boi. Esqueça, como isto ocorre na Espanha tudo bem, lá é primeiro mundo.
Eu não sabia mas a Dinamarca também tem o seu dia de "primeiro mundo". Em Dantesque, Ilhas Faroe (Dinamarca), ocorre um ritual tipos batismo de fogo ou de sangue, como queiram, onde a população se lança sobre o golfinho Calderon, animal simpático que se aproxima do homem como se dele quizesse a amizade. Não há necessidade de narrar o que ocorre porque as fotos falam por si próprias. Veja abaixo, é monstruoso.



Pelo que entendi o golfinho não teme o homem ou então é suicida em potencial porque se aproxima nadando numa água que deveria espantá-lo já que está ensaguentada pelo sangue dos de sua espécie.



Dá a impressão que as pessoas seatracam com os animais e estes, incrivelmente, não reajem, não fogem e deixam-se abater simplesmente como से isto fizesसे parte de alguma missão que eles têm.

















Encontrei o blog ai do link, que detalha mais o que ocorre e também publica as fotos que ora publico।
http://quistisworld।blogspot.com/2009/03/dinamarca-e-uma-vergonha.html
Encontrei outro. Sei lá quem copiou de quem. Eu não copiei, recebi as fotos por email de um amigo. Eia nois...
http://www.triplov.com/hist_fil_ciencia/Preservacao/Calderon/index.html























Nesta panorâmica pode-se ver melhor o tamanho da chacina. Realmente, é coisa de primeiro mundo.










4 Responses so far.

  1. says:

    Concordo com vc em tudo, é isso mesmo, macaco nunca olha para o seu rabo só pro rabo dos outros!!!

    Sem contar como muitos brasileiros são mal recebidos em outros paises, são deportados do aeroporto!!!

    será que somos tão ignorantes assim aos olhos estrangeiros?

    um abraço
    Regina

  2. EAD/JOYCE says:

    Muito bom seu texto, Jef. Concordo plenamente. bjs

  3. janio says:

    Talvez pelo fato dos golfinhos serem animais extremamente dóceis, explique o fato de se deixarem abater.

    O erro deles não justifica o nosso mas, diplomaticamente falando, faço minhas as palavras do "sem noção" Chaves: "Aqui qum manda soy yo".

  4. Anônimo says:

    É inacreditável como as pessoas acreditam em tudo que veem e ouvem sem se questionarem se de fato aquilo é verdade ou até q ponto há verdade. É fato que os golfinhos sao realmente assassinados.. mas não é um ritual "satanico" ou algo sem um motivo justificável. Não estou defendendo, mas tambem nao podemos dizer que é algo monstruoso. Afinal é muito facil meter o pau em uma cultua ou um costume diferente sem procurar saber o real motivo daquilo. Só para constar as mortes são para estocar comida para todo o inverno e muito pouco, quase nada dos golfinhos nao é utilizada por eles. Concerteza os animais devem sofrer pela forma como é feita, o que deveriamos nos perguntar é se nao ha outra forma de estocar comida para o inverno ou fazer isso de um jeito menos doloroso para os animais. enfim pesquisar e procurar alternativas e não apenas ver, acreditar em tudo o que se diz e nao fazer nada para mudar a situaçao.... Vamos PENSAR!!!!!!